Perdoar

Sentimentos

Com alguma frequência questiono-me acerca deste assunto… O que realmente significa perdoar alguém ou uma situação?

Talvez comecemos pela definição do termo perdoar no dicionário:

1. Conceder perdão, absolver da pena. = ABSOLVER, AMNISTIAR, DESCULPAR, INDULTAR
2. Isentar de dívida.
3. Aceitar, suportar, tolerar.
4. Poupar.
Palavras relacionadas: indultar, absolvido, amnistia

Segundo o dicionário as definições são muito claras…. Será que na prática é algo possível ou utópico?

Dou por mim a fazer círculos e esquemas mentais de quão bonito é a capacidade ou a vontade de querer perdoar alguém,  de seguir em frente, de esquecer atitudes ou situações que em grande parte das vezes nos magoaram tanto…E que nos partem o coração.
Para já e sem grandes reservas perdoar é aceitar a dor aceitar que aquilo que nos corrói por dentro é uma realidade que não vai mudar…
Aconteceu mesmo… E não,  não foi ao vizinho do lado….Foi a mim… Foi a nós… Foi à nossa relação…

Gosto de pensar que sei a verdade, que controlo ainda que com alguma dor aquilo que me rodeia… Mentira…
Pouco ou nada controlamos. Pouco ou nada sabemos,  e quando julgamos que temos toda a experiência e força para mudar o mundo eis que somos derrubados novamente sem dó nem piedade

A vida é assim,  confusa e tão mas tão frágil.

A palavra perdoar cada vez mais se assemelha à palavra eu, a mim e ao que me permito sentir.

Antes de perdoar quem quer que seja tenho que compreender a verdadeira natureza da dor, porque sim,  na grande maioria das vezes o perdoar vem de mãos dadas com a culpa. Com a sensação de que a atitude de alguém só aconteceu por reacção às nossas próprias atitudes.

Ou seja somos a raiz do problema.

Segundo isto será que antes de perdoamos seja quem for não teremos nós que nos perdoar a nós próprios?

E se independentemente de tudo tivermos que aceitar que não depende tudo de nós e que não podemos ser sempre responsáveis pelas emoções e atitudes dos outros perante as nossas próprias acções?

Será que não temos uma responsabilidade emocional para com aqueles que amamos ou cativamos…?Já dizia Saint Exuperie no livro o principezinho à raposa: “ficas para sempre responsável por aqueles que cativares…Onde começa a nossa responsabilidade nos sentimentos dos outros e onde acaba?

Será que a culpa é apenas uma forma de ver as coisas e de carregar a alma, muitas vezes, de dores que não são para serem por nós carregadas?

E será que no meio disto tudo terá que existir sempre um culpado ou responsável….? Ou se por outro lado todos fazemos parte da equação e podemo-nos culpar o que a nossa alma nos permitir?

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s